sábado, julho 01, 2006

BAIXADA URGENTE

CAXIAS VAI GASTAR MAIS DE 7 MILHÕES
PARA ACABAR COM PEDÁGIO EM XERÉM

Foram mais de 10 anos de luta para acabar com a cobrança do pedágio para empresas e moradores de Xerém, o prefeito Washington Reis jogou a toalha: a prefeitura vai investir R$ 7 milhões na construção de uma nova estrada, ligando a sede do quarto Distrito a Santa Cruz da Serra. O anúncio foi feito durante uma reunião realizada quinta-feira (29/06), num clube de Xerém , especialmente convocada pelo prefeito para esse fim e que contou com a presença de mais de 500 moradores, empresários, além do deputado federal Reinaldo Betão (PL) e do superintendente de Exploração da Infra-Estrutura da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, Carlos Serman. Durante o encontro, Washington Reis explicou que esteve em Brasília diversas vezes, nos últimos anos, tanto como deputado, como prefeito, buscando uma alternativa que livrasse moradores e empresas do Quarto Distrito do pagamento duplo do pedágio, mas a única alternativa apresentada pela ANTT era a duplicação, ao custo de R$ 250 milhões, da atual pista de descida, ficando o trecho antigo apenas para a ligação Caxias-Petrópolis, como consta do contrato firmado entre o DNIT e a Concer. Como o Governo Federal não tem condições de assumir os custos desse antigo projeto do extinto DNER, surgiu uma outra opção, que seria o deslocamento da Praça do Pedágio para o trecho em frente à Refinaria de Campos Elíseos, o que se mostrou politicamente inviável. Só restou ao Município assumir a construção de uma nova estrada, ligando o trevo de Santa Crua da Serra à entrada de Xerém. A Prefeitura já tem o traçado levantado para as desapropriações necessárias a esse projeto, chamado “Linha Verde”, e as obras deverão começar ainda este mês, com conclusão prevista para abril de 2007. A nova estrada terá inicio na Avenida Capitão Guinemayer, na Codin, seguindo até o viaduto de Santa Cruz da Serra, com duas pistas, numa extensão de aproximadamente 5,50 quilômetros, totalmente, iluminada. Também serão construídas duas pontes no trajeto que corta as terras da fazenda Valverde e da empresa Clariant Química. A pista terá dupla pavimentação, capaz suportar o tráfego pesado de caminhões das indústrias da região.

► Durante a reunião em Xerém, Washington Reis revelou que ainda corre o risco de pagar uma multa de R$ 10 milhões à CONCER pela construção de uma via paralela à Rodovia Washington Luis, embargada pela Justiça.
► Na reunião promovida para discutir a implantação do projeto “Linha Verde”, o deputado federal Reinaldo Betão surpreendeu os presentes ao informar que a iluminação da Rodovia Washington Luiz, no trecho que corta Duque de Caxias, não será um ato de benemerência da Concer, mas uma forma de compensação negociada com a ANTT. Como não instalou as “Call-Box” – aqueles telefones de emergência que os países desenvolvidos instalam às margens das rodovias para que os motoristas peçam socorro – a Concer, que cobra um dos mais caros pedágios do País, resolveu assumir a iluminação da rodovia. Foi apenas uma questão financeira: a iluminação sairá mais barato do que a instalação dos “Call-Box”, prevista na concessão.
► Para o deputado Eduardo Paes, candidato a governador pelo PSDB, as relações entre o Palácio Guanabara e os prefeitos tem de mudar radicalmente. Para o candidato tucano, “a lógica hoje é ‘não faço e não deixo que faça’. Em muitos casos, o estado não age porque não tem dinheiro, mas também não deixa a prefeitura intervir. Queremos chegar nas áreas críticas e entrar com dinheiro com as prefeituras. A política do Rio de Janeiro tem que ter maturidade para deixar de lado a disputa de quem vai cortar a fita ou descerrar a placa”. Por fim, o candidato afirmou que as políticas sociais têm que ter um foco específico.
► Eduardo Paes garante que não acabará com iniciativas do atual governo, como o Cheque Cidadão, mas mudará sua forma de funcionamento: “As políticas sociais não têm que gerar uma relação de dependência com os beneficiados. E, além disso, eles não têm de oferecer contrapartida alguma para fazer parte dos programas, como a de ter alguma ligação com pessoas ligadas ao Governo”.
► O Superintendente da ANTT, que deveria fiscalizar o contrato de concessão da Concer, afirmou que a mudança da praça de Pedágio para a subida da serra, como reivindicava o prefeito e os empresários de Xerém, seria uma forma de quebra do contato de concessão, pois fora firmado mediante o projeto de uma praça de pedágio em Santa Cruz da Serra. Agora, o fato da Concer haver descumprido o contrato, ao não instalar as “Call-Box”, fundamentais na prestação de socorro aos motoristas em caso de acidente, não mereceu o mesmo rigor jurídico. Bastou ela acenar com a iluminação da Rodovia – a taxa de iluminação será paga pela Prefeitura, isto é, TODOS OS MORAODRES DE QUE DE CAXIAS – para a ANTT fornecer um Atestado de Bons Antecedentes para a inadimplente concessionária. Se a concer fosse um simples morador da Baixada, já teria sido acionada na Justiça e ver o seu nome na lista do SPC, da SERASA e dos bancos.
► Por falar em bancos: a Caixa – que torrou milhões no contrato com a GTECH americana – está acenando com juros de APENAS 1,77 % ao mês para o empréstimo consignado, isto é, o servidor público que contratar o empréstimo será descontado na folha de pagamento, isto é, o contracheque sairá sem a prestação. É um negócio tão bom que a Caixa comprou por alguns milhões a Carteira de empréstimos consignados do BMG, outro banco envolvido nas tramóias do “mensalão”, que Lula jura que não existe.
► Embora seja um banco oficial, com a missão de ajudar na implantação de políticas públicas de geração de emprego e renda, a Caixa cobra mais caro no empréstimo consignado, sem risco de inadimplência, do que as financeiras privadas cobram no financiamento de carro Zero Km, que anda em torno de 0,99%.
► Assim, para o funcionário público ou pensionista, que mora no andar térreo do nosso edifício social e quer sair do sufoco, a Caixa cobra o dobro do que as financeiras cobram no financiamento dos carrões de luxo do pessoal que mora na cobertura. Isto, sim, é política de redistribuição de renda: a Caixa tira do feijão com arroz do Zé Ninguém para garantir o Zero Km de luxo do filho de ministro, de senador, de deputado e dos grandes empresários!
► Da série “Pensamentos do Grande Guia”: “Quando as pessoas vêm para o hospital e morrem na mão do Jatene [o cirurgião Adib Jatene], mesmo que ele tenha feito um erro, todo mundo morre satisfeito, morreu na mão do melhor.” Extraído do discurso pronunciado por Lula, na Faculdade de Medicina da USP, esta semana. Lembre-se disso no dia em que for votar para Presidente da República!

Um comentário:

Marcelo de Souza disse...

boa tarde
esta linha vai passar pelo bairro Maria Helena? proximo a Rio/Magé?