quarta-feira, março 22, 2006

BAIXADA URGENTE

DENÚNCIA:
CAXIAS AFUNDA NO LIXO DO RIO
, Além de coordenar a campanha contra a superlotação dos xadrezes da 59ª DP-Caxias, que na semana passava abrigava mais de 580 presos, iniciativa que conta com o apoio da OAB/Caxias, da Maçonaria, dos clubes de serviço e da Firjan, a Ong “Viva a Vida” vai abrir uma nova frente de luta: o lixão do Jardim Gramacho, onde há poucos dias foram descobertas ossadas de mais de 100 pessoas.
Instalado e administrado pela Comlurb durante o governo Chagas Freitas, O lixão recebe mais de oito mil toneladas de lixo por dia da cidade do Rio de Janeiro, além de quantidades menores de Nilópolis, São João de Meriti e Belford Roxo. Ocorre que o chamado aterro sanitário do Jardim Gramacho foi implantado sobre área de manguezal e, além de destruir a fauna e a flora local, está provocando a elevação da lama do fundo da Baía. Ambientalistas, como a professora Dalva Lazzaroni, já denunciaram que pode ocorrer uma tragédia a qualquer momento e o lixo e a lama invadirem as casas do populoso bairro caxiense.
O presidente da Ong “Viva a Vida”, Ronaldo Batista de Lima, está tentando incluir o problema do lixão do Jardim Gramacho na pauta da organização “Greenpeece”, a mesma que usou a estátua do Cristo Redentor para denunciar o assassinato a sangue frio do planeta, em conseqüência do efeito estufa, crime comandado pelas nações industrializadas sob a liderança dos EE. UU., país que se nega a assinar o Tratado de Kioto, de combate e controle do “Efeito Estufa”.
Washington Reis e Rosinha Garotinho que se preparem. Vem chumbo grosso por aí!

■ Em março de 2005, a Secretária de Ação Social e Trabalho de Duque de Caxias, Daniele Reis, alugou um prédio de quatro pavimentos na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, ao lado da Justiça do Trabalho. Ela pagaria R$ 10 mil de aluguel por um prédio mais espaçoso que o hoje ocupado pela sua Secretaria, na Rua Piratini, em frente ao Viaduto da Câmara, a um custo mensal de R$ 12,5 mil (valores de 2005).
■ Além da economia, a esposa do prefeito Washington Reis pretendia aproveitar o espaço extra para instalar novos serviços, inclusive a Funerária Popular, que garantiria um sepultamento gratuito e respeitoso para pessoas carentes, sem depender de favores da concessionária dos cemitérios da cidade. Nem o fato de ser a Primeira Dama ajudou Daniele Reis a romper as barreiras impostas por outras secretarias. Até um elevador foi instalado no local, mas a inauguração da nova sede da Secretaria de Ação Social e Trabalho não tem data para ocorrer.
■ Enquanto isso, idosos e deficientes físicos se espremem nas escadarias e corredores da antiga sede da Secretaria, na Rua Piratini, um prédio de apenas três pavimentos. Por enfrentar situação semelhante, de cerceamento e falta de recursos, o vereador Ito deixou a Secretaria do Meio Ambiente.
■ No Governo Lula, não se pode confiar nem na Polícia Federal, nem na Caixa. O que mais falta tirar do povo, depois de furtar a nossa esperança de mudanças?
■ As raposas do “Butantã” da Praça Roberto Silveira, em Caxias, entendem que a “Rua Toneleros” que vai levar Lula ao inferno já apareceu. Foi a quebra do sigilo bancário do copeiro que trabalhava na “República de Ribeirão Preto”, um luxuoso casarão onde os assessores de Palocci faziam festinhas regadas a viagra.
■ No caso “Toneleros”, a ordem de matar Carlos Lacerda partiu dos porões do Palácio do Catete. O erro dos pistoleiros foi matarem um major da Aeronáutica, amigo do jornalista, dando início à “República do Galeão”, movimento político-militar que levou Getúlio ao suicídio. Quem será o “Gregório” da Era Lula?
■ .Um jornalão do Rio, menina dos olhos da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Duque de Caxias, de quem recebe boa ajuda em publicidade, vira e mexe acaba batendo forte no prefeito Washington Reis, o que é, no mínimo, uma ingratidão.
■ Na edição de segunda-feira, na reportagem sobre o comício de Garotinho na Cinelândia, um astuto repórter do referido jornalão conseguiu identificar, em meio a mais de 25 mil pessoas, segundo cálculos da PM, uma copeira que trabalha na Secretaria de Educação de Caxias. Uma senhora de 59 anos que não é chegada à mentira, a copeira confessou, candidamente, que fora ao comício para ajudar Garotinho por determinação do prefeito Washington Reis, seu patrão eventual.
■ Aos olhos do Código Eleitoral, o uso de servidores públicos em atos político-partidário configura o uso da máquina administrativa. E o casal Garotinho até hoje está às voltas com a Justiça Eleitoral justamente por ter transferido, em 2004, a Secretaria de Ação Social do Estado, a que distribui o Chefe Cidadão, para ajudar o candidato de Garotinho nas eleições (anuladas) de Campos.
■ Há poucos dias, o Secretário de Administração de Caxias, que é vereador do PPS e irmão do deputado Gilberto Silva, por muito pouco não acabou preso por descumprir, seguindo determinação do prefeito, uma Ordem judicial em favor de professores do Município.
■ As voltas que o mundo dá. Durante os oito anos em que dirigiu com mão de ferro a Secretaria de Educação de Duque de Caxias, a professora Roberta Barreto usou de todos os recursos para impedir greve no setor, inclusive contratando professoras concursadas pelo regime do GLP do Estado, que é um contrato precário e pode ser cancelado a qualquer momento. Como havia centenas de professores nessa situação, se fizessem greve, perderiam o segundo emprego, além do risco de responderem a inquérito administrativo e perderem a vaga que conquistaram por concurso.
■ Agora que está fora do Governo, a professora Roberta Barreto não perde oportunidade para, através do programa de uma rádio carioca de sucesso, incentivar o Magistério à greve, tanto no Estado governado por Da. Rosinha, como no Município, que ela pretendia governar como prefeita indicada por Zito. Será que o SEPE, que sempre bateu de frente com a Secretária de Educação de Zito, agora vai aceitar ser comandado pela trêfega professora?

Um comentário:

RONALDO BATISTA DE LIMA disse...

PERIGO NOS XADREZES DA 59ª DP/Caxias

Infelizmente, não recebemos nenhuma resposta efetiva por parte do Governo do Estado quanto a superlotação da 59 DP, nem do Min. Publico. A grande verdade é que ainda nosso Município é muito discriminado pela elite de nosso Estado, como resposta nossa sociedade está se organizando cada vez mais e com as diversas adesões que estão acontecendo em breve teremos uma união exemplar para conseguirmos alcançar as necessidades básicas em nossa cidade, que aliás é obrigação das Administrações Públicas seja ela em qualquer esfera.
Estamos enviando relatórios a diversos organismos internacionais como o Conselho de Direitos Humanos da ONU em Brasília e ao Greenpeace, informando sobre alguns desrespeitos aos Direitos Humanos, Crimes ambientais, bem como a pobreza absoluta que reina em algumas comunidades de Duque de Caxias, e estes organismos possuem um LINK com mais de 900 Jornalistas do Brasil e do mundo e certamente noticiarão estas irregularidades.
Lembramos que nosso Objetivo é no coletivo procurando cada vez mais melhorar a qualidade de vida em nossa Cidade. Lembramos que, até o momento, nenhuma Autoridade, seja Vereador (exceto o ITO) Deputado Estadual ou Federal se interessaram por estas causas, ou será que os interesses são para continuar tudo como está ?
Ronaldo Batista de Lima
Presidente da ong VIVA A VIDA