quarta-feira, abril 05, 2006

BAIXADA URGENTE - DENÚNCIA

R$ 33 MILHÕES PARA CEMITÉRIO
► Quando esteve na Câmara de Duque de Caxias, no início do ano, para apresentar o balanço do último bimestre de 2005, o Secretário de Fazenda, Sérgio Rui Barbosa, surpreendeu a todos ao afirmar que a dívida do Município com os antigos donos do terreno onde foi construído o Cemitério do Tanque do Anil, no Parque Beira Mar, chegara a R$ 33 milhões. No segundo mandato do ex-prefeito Zito, foi firmado um acordo, em que o Município concordava em pagar aos herdeiros do antigo proprietário do terreno, já falecido, a quantia de R$ 6 milhões, em 10 parcelas anuais de R$ 600 mil. Assim, a dívida em 2006 deveria ser de apenas R$ 4 milhões. Para discutir as razões pela qual a dívida teve um crescimento de mais de 700% em pouco mais de 2 anos, a Câmara vai promover uma Audiência Pública na próxima terça-feira (11/04), a partir das 10 horas, com a participação de advogados da Prefeitura, para tentar esclarecer o “imbróglio”. A audiência foi proposta pelo vereador Ito e foram convidadas, entre outras instituições, a OAB, Ministério Público Estadual, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, Unigranrio, Fundação Getúlio Vargas, Maçonaria, clubes de serviço, SEPE e o Movimento Viva a Vida.

► O vereador Ito (PT do B) tem uma carta na manga para a Audiência Pública de segunda-feira que é glicerina pura: um Laudo da Fundação Getúlio Vargas, feito a pedido da Câmara, aponta um erro, para mais, de 3% nos cálculos efetuados pela Contadoria do Tribunal de Justiça. Numa dívida de mais de 30 milhões, a diferença de 3% contra o Município equivale a bagatela de R$ 1 milhão, em números redondos.
► E o pior: a Procuradoria Geral do Município perdeu o prazo para contestar os cálculos. Segundo o Dr. Francisco Rangel, ex-procurador Geral do Município, a Carta Precatória chegou ao seu Gabinete no dia 27 de dezembro de 2004, isto é, no momento de transição entre Governos, mas o fato foi comunicado ao novo procurador, Dr. Leonardo Azeredo, que assumiu o cargo no dia 1º de janeiro de 2005. E agora, Doutor?
► Toma posse, nesta sexta-feira (07/04) a nova Diretoria da Associação Caxiense de Imprensa. Será no plenário da Câmara Municipal, às 18h, e a entidade continuará sob a batuta do veterano Carlos Bezerra, que terá ao seu lado os nomes mais expressivos da Imprensa local. Ela já foi presidida por Lais Costa Velho, Carlos Mendonça e Julio de Moura Magalhães, entre outros nomes de destaque da Imprensa da Baixada.
► Também nesta sexta-feira, os moradores de Xerém estarão comemorando festivamente o 6º aniversário da Biblioteca Pública Ferreira Gullar, com a presença do seu patrono. Já são mais de 4000 volumes e a biblioteca nasceu e sobrevive do apoio comunitário, oferecendo uma janela para o mundo para crianças e jovens que moram no 4º Distrito de Duque de Caxias. Pena que o Poder Público não entenda a importância da Cultura na vida de um Povo! A festa começa às 14h e ainda tem show de Beto Gaspari.
► Está circulando na cidade um jornal colorido, em homenagem ao aniversário do prefeito Washington Reis. É uma idéia engenhosa, pois seus organizadores terão 12 meses para arranjar o dinheiro para pagar a gráfica. Até que chegue o próximo aniversário.
► A nota sobre a Cia. de Danças fantasma em Caxias, como era previsível, teve grande repercussão. Menos na Secretaria de Cultura, que não viu nada de mais. Nem de menos. Na primeira comemoração do Dia Municipal da Cultura, por exemplo, evento criado por iniciativa da vereadora Leide Duarte, não havia ninguém da Secretaria, mesmo sabendo que, pelo texto da Lei, a programação era de responsabilidade daquela pasta.
► Nossos políticos, ao chegarem aos postos de mando, ficam deslumbrados com os outdoors que surgem “espontaneamente” pela cidade, anunciando seus aniversários. Deveriam, antes, comprar e ler o livro “Mil Dias de Solidão”, escrito pelo jornalista Cláudio Humberto, ex-assessor do Presidente Collor.
► Logo na primeira página, o jornalista registra que, em pouco tempo, havia virado pó “o projeto secreto, sonhado, para fiar 30 anos no poder”! É isso mesmo! Collor pretendia ficar 30 anos no Poder, o dobro do que ficara Getúlio Vargas, mesmo montado no sucesso da CLT, em que Lindolfo Collor, pai do ex-Presidente, dera significativa contribuição. Apesar de muitos o considerarem o “pai dos pobres”, Getúlio Vargas só conseguiu ficar 15 anos no Poder, mas Collor esperava dobrar esse prazo.
► No momento em que os dominós da política nacional são derrubados inapelavelmente pelo imensurável “mar de lama” que afoga a nossa República, é bom ficar de olho no passado recente!
► Em tempo: na Feira de Livros da Praça Roberto Silveira, que se encerra nesta sexta-feira (07/04), ainda é possível comprar o livro de Cláudio Humberto pela bagatela de R$ 3. Quem levar outro livro da banca, pagará apenas R$ 5 pelos dois. Uma pechincha.
► O Conselho Municipal de Cultura de Duque de Caxias realiza neste sábado (8/04) a 1ª Conferência Extraordinária Municipal de Cultura, para eleição dos representantes da sociedade civil para as cadeiras e suplências vagas. A conferência será na sede da Secretaria de Cultura, na Praça Governador Roberto Silveira nº 31, 4º andar, Centro, das 9h às 12h. As instituições, candidatos, fiscais e delegados poderão se inscrever nesta sexta-feira, das 9h às 18h, no mesmo local. A Secretaria de Cultura convocou a sociedade civil para discutir também neste sábado, só que na Câmara Municipal, à Rua Paulo Lins nº 41, Centro, a minuta do projeto de lei que cria o Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial. A reunião começará às 9h.
► Com apoio do Governo Federal, a Secretaria de Cultura de Duque de Caxias e o Museu Casa do Pontal mostram, até o dia 28, a arte popular produzida por artistas do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. São cerca de 60 esculturas, mapas e fotos da região, que revelaram grandes talentos, entre eles Ulisses Pereira Chaves, Noemisa Batista da Silva e João Alves, que participam da mostra. Os trabalhos poderão ser vistos no saguão da Secretaria de Cultura, na Praça Roberto Silveira, 31, Centro, de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h.

Um comentário:

W. Fazolato disse...

EU AMO CAXIAS
Sou leitor costumaz de seu blog na internet.
Leio todos os quatro - Alberto Marques, Raio X, Pedaços da história de Duque de Caxias e Flagrantes do cotidiano - com igual satisfação.
O Pedaços... já informações que gosto muito, com respeito a história de nossa cidade.
Somos um povo sem memória e que prefere "viver o hoje".
Nossa cidade tem uma história tão rica mas ao mesmo tempo tão
vilipendiada. Que tristeza!
Nasci numa maternidade no bairro da Glória, no Rio de Janeiro, mas
minha família sempre morou aquie em Duque de Caxias. Meus pais - Adalberto e Eliza - e meus irmãos até hoje moram na Rua Protógenes Guimarães, próximo à Av. Dr. Manuel Telles, no bairro Engenho do Porto.
Foi ali que cresci, estudando no São Francisco de Assis, depois no
Duque de Caxias, do Dr. Eli Combat, depois no Santa Helena e, mais tarde, na AFE, hoje UNIGRANRIO.
Gosto daqui, apesar de todas as mazelas de nossa cidade. Uma violência cada vez maior - me orgulhava de nunca ter sido assaltado em Duque de Caxias, só no Rio - e no últimos dois anos já tive o carro roubado duas vezes no meu bairro, Bar dos Cavaleiros.
Continue escrevendo, lembre-se que ao menos um leitor você tem.

Abraços,

Washington Fazolato