quinta-feira, março 16, 2006

BAIXADA URGENTE

■ As obras de revitalização do centro de Caxias começaram em dezembro e vão durar sete meses. Na primeira fase, serão investidos R$ 32 milhões, financiados pelo Banco Mundial. A alteração no trânsito começa no final da próxima semana. Neste sábado (18/03) será feita uma simulação no local. Com a interdição, a Av. Presidente Kennedy vai operar em regime de mão dupla entre a Praça do Pacificador e a Rua Nunes Alves, depois da Catedral de Santo Antônio, onde haverá um retorno até a estação.
■ Durante a interdição, os pontos de táxi e o estacionamento rotativo ficarão proibidos em todo trecho da Avenida Presidente Kennedy. Os coletivos com destino ao Jardim Gramacho continuarão trafegando pela Rua Xavier Pinheiro até a Avenida Dr. Plínio Casado, onde retornarão e seguirão pela Avenida Presidente Kennedy. Carga e descarga de mercadoria só serão permitidas no horário das 21h às 05h. Quem descumprir as determinações será multado.
■ Esta semana o subsecretário de Serviços Públicos, Abdul Haikal, reuniu os comerciantes do Centro da cidade, explicando detalhes do projeto, os benefícios, bem como os transtornos que serão causados durante as obras de revitalização do Centro da cidade, executadas numa parceria da Prefeitura com a Secretaria Estadual de Transportes.
■ Na fase inicial, será construído um mergulhão para pedestres com 252 metros de extensão ligando as avenidas Presidente Vargas e Plínio Casado, paralelas à via férrea, que disporá de sete escadas rolantes, elevadores e plataforma para deficientes físicos, inclusive usuários de cadeira de rodas. No subsolo serão construídas lojas para atendimento social – expedição de documentos, pagamento de tributos estaduais e municipais, dentro do programa Estação da Cidadania, e acesso à Internet. Na Avenida Presidente Vargas, dentro do programa de reurbanização, será construída uma praça com jardins e quiosques. As redes elétricas e de telefonia da área será subterrâneas.
■ O juiz da 2ª Vara de Falências e Recuperações de São Paulo decretou esta semana a falência da Nova Brasil Ferrovias, um complexo de ferrovias pertencentes à Rede Ferroviária Federal que foram privatizadas, incluindo terminais portuários. A empresa era gerida, a seis mãos, pelo BNDES, Funcef e Previ, fundos de pensão da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, e a falência foi decretada em face do não pagamento de uma Nota Promissória no valor de R$ 5,6 milhões de reais.
■ Agora, um grupo de deputados da ALERJ decidiu criar uma Frente Parlamentar de Defesa do Patrimônio Público. A quem eles pretendem enganar? Durante anos, as estatais patrocinaram um festival de desperdício com dinheiro público. A mastodôntica Telerj, por exemplo, vendia os telefones mais caros do planeta. Com a privatização, o Brasil tem hoje mais de 80 milhões de celulares, mercado que se expandiu no vácuo deixado pela telefonia fixa.
■ No manifesto-plataforma, os signatários, todos filiados ao PT, PC do B e PSOL, garantem que o objetivo da frente "é rearticular todos os setores da sociedade brasileira que se sentem lesados pela privatização da Vale e de tantas outras empresas". Eles não dizem uma só palavra sobre os polpudos jetons pagos a José Dirceu, Dilma Russef e outras figuras do Governo, como integrantes dos Conselhos de Administração de diversas empresas, como Banco do Brasil, Petrobrás, BNDES, Caixa Econômica Federal, Perdigão, Cobra e outras mais, onde o capital é publico. No Pará, por exemplo, o irmão do governador do PT tinha tantos jetons que ganhava, por mês, mais de R$ 40 mil, superando, de longe, a remuneração do irmão-camarada.
■ Lançada no Congresso em 2005 pela deputada federal Doutora Clair (PT-PR) a Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Público se opõe à privatização da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) e reivindica a re-estatização de todas as empresas privatizadas e a anulação do leilão da Vale. Xenofobia pura!
■ Supermercados, peixarias, mercados de peixes, trailers de feiras livres e demais centros de comercialização de pescados serão obrigados a fixar um cartaz, em local de fácil acesso e visualização pelo consumidor, contendo informações sobre o tamanho mínimo de captura de peixes e suas fotos para que os consumidores saibam identificar as espécies. É o que determina o projeto de lei 1.689/04, do deputado Carlos Minc (PT), aprovado quinta-feira (9/03) pela Alerj.
■ "As medidas mínimas dos peixes já existem em nível nacional e os pescadores conscientes sempre devolvem ao mar os animais pequenos. Mas existem aqueles que pescam com rede e aproveitam todo o pescado, independente do tamanho. Com os cartazes, os consumidores terão como ajudar a preservar os cardumes, evitando comprar peixes abaixo do tamanho mínimo de captura", argumenta o parlamentar petista. O projeto agora será enviado à governadora Rosinha Garotinho, que terá 30 dias para sancioná-lo.
■ Os piratas perderam a cerimônia. Na tarde de quarta-feira (15), por volta das 16 horas, um gol branco, placa particular, com sistema de som, convocava os passageiros que estavam no ponto em frente à agência dos Correios, informando que fazia a linha Caxias-Jardim Primavera-Parque Paulista. Além de não poder fazer transporte coletivo, o gol não tem cobertura do seguro em caso de acidente. Nenhuma seguradora concordará em indenizar passageiros de carros particulares flagrados fazendo transporte de passageiros com cobrança de passagem. Só em Caxias isso acontece!
■ Não é só os moradores de Santa Rosa, na subida da BR-040 (Rodovia Rio-Juiz de Fora), no Distrito de Xerém, que estão sem transporte em pleno Século XXI. Seus vizinhos do Rancho Alegre, Leal , na subida da serra de Petrópolis,e do Aviário, na descida, também enfrentam o mesmo problema: caminhar alguns quilômetros até o centro de Mantiquira, em busca de médico e remédios, ou pagar passagem direta da linha Petrópolis-Caxias, uma das mais cara do País. Nem a Secretaria de Serviços Públicos de Caxias, nem o Detro (estadual) movem uma palha para resolver o problema. Para quem apelar? Para algum Bispo disponível na Baixada?
■ A ALERJ comemorou nesta quarta-feira (15/03) o 15º aniversário do Estatuto do Consumidor com uma grande festa, onde não podia faltar a revelação das piores empresas, do ponto de vista do atendimento e respeito ao consumidor. Em primeiro lugar, absoluta, ficou a Telemar, a empresa que já injetou R$ 15 milhões na sociedade com o filho do Lula, seguida da Light (controlada por uma estatal francesa), Cedae, Vivo, Banco Múltiplo (?), Claro, Fininvest, Ampla, Credicard e Banco Itaú. Para a deputada Cidinha Campos, do PDT e presidente da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor, “ os fornecedores já estão mais cientes de suas responsabilidades, talvez por medo das reivindicações de seus clientes. O importante é que as empresas prestem o serviço de assistência ao consumidor”
■ Joelmir Betting, da Rede Band, jogou um carro pipa no chope do Palácio do Planalto, ao comentar a última pesquisa do IBOPE, que aponta o favoritismo de Lula. O ferino comentarista lembrou que, nas três vezes em que foi derrotado, as pesquisas apontavam Lula como favorito no primeiro semestre. Em outras palavras: a recupeação de Lula seria apenas uma “bolha”, que se desfaria quando começasse a campanha eleitoral. O time do Real Madri que o diga!

Um comentário:

PASTOR FEIJOLLI disse...

TRANSPORTE PIRATA
Excelente a abordagem,não é só aí no centro que a coisa está assim. Basta dar uma caminhada no municipio para ver a que ponto chegamos, ou seja, retrocedemos em materia de transportes píblicos, carros de passeio, kombis, vans não legalizadas, fazendo acintosamente a condução de passageiros,e nos fins de semana. quando não há fiscalização, aí eé que a coisa deslancha. Em Santa Cruz da Serra, Figueira, Saracuruna, Imbariê é uma festa só.


psfeijolli@ig.com.br




http://albertomarques.blogspot.com