quinta-feira, março 02, 2006

BAIXADA URGENTE

■ A Liga das Escolas de Samba informa: sai Martinho da Vila, entra Hugo Chavez. A globalização chegou, finalmente, ao carnaval carioca. Agora, até o portunhol faz parte do samba-enredo, para desespero dos verdadeiros sambistas, como Martinho da Vila, que largou a Vila irritado pelo merchandise descarado da Petróleo da Venezuela, patrocinadora da campeã do carnaval de 2006.
■ Já a Grande Rio, que perdeu o título por 0,1 ponto, isto mesmo, apenas um décimo de ponto, deve rever a política de gigantismo com a “inserção” da turma do Projac, que desfila na ex-escola de Duque de Caxias apenas para aproveitar os 15 segundos de sucesso no Sambódromo para alavancar as suas carreiras. Foi o gigantismo da escola que provocou o desastre na dispersão, onde perdeu 1 minuto, isto mesmo, 60 segundos preciosos, que lhe valeram a perda de 0,2 ponto e que fariam da Grande Rio a vitoriosa do carnaval deste ano.
■ Finalmente, uma boa notícia para o pessoal que trabalha duro. O Superior Tribunal de Justiça acaba de decidir que o pagamento de horas extras está isento de imposto de renda. No entendimento do STJ, o imposto sobre a renda tem como fato gerador a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica da renda (produto do capital, do trabalho ou da combinação de ambos) e de proventos de qualquer natureza. E os valores relativos às horas extras não são renda nem proventos.
■ Para os ministros, a indenização especial, o 13º salário, as férias, o abono pecuniário, quando não gozados, assim como a indenização de horas trabalhadas, conhecidas como hora extra, não configuram acréscimo patrimonial de qualquer natureza ou renda, não sendo, assim, sujeitas à incidência do imposto, conforme disposto no artigo 43 do Código Tributário Nacional. A questão foi definida num recurso apresentado por um contribuinte para reverter decisão da Justiça Federal que havia concluído pela incidência do impostos em tais casos.
■ Ufa!!! Em matéria de crescimento econômico, conseguimos deixar o Haiti para trás. Com o fabuloso espetáculo de crescimento de 2,3% do PIB em 2005, deixamos a lanterninha desse trágico campeonato nas mãos do sofrido povo da América Central, vítima da colonização francesa e da intervenção americana, com apoio do Brasil.
■ Esses 2,3% a mais no nosso PIB significou, entre outras coisas, o aumento do desemprego, a redução da renda dos assalariados (até na economia informal) e o fechamento de empresas. Em compensação, os banqueiros (daqui e de fora) nunca ganharam tanto dinheiro! O Bradesco conseguiu ganhar até de bancos americanos! Melhor do que ser dono de banco é ser sócio da Telemar. A micro-empresa do filho de Lula, por exemplo, que atua no ramo dos jogos eletrônicos e tinha um capital inicial de apenas R$ 2 mil, recebeu, em apenas três anos, um aporte financeiro de R$ 15 milhões da gigante da telefonia.
■ Garotinho caminha a largas passadas para ser “cristianizado” nas eleições de outubro, se vencer as prévias do dia 19. As atuais lideranças do PMDB, partido fundado por Ulisses Guimarães, Mario Covas e Renato Archer para enfrentar a ditadura militar - da qual José Sarney e Paulo Maluf eram incondicionais beneficiários e perpétuos defensores - estão ansiosas para fechar um acordo com Lula, pelo qual a ala governista do partido continuará participando do Governo e da distribuição de cargos num provável segundo mandato do “nosso guia”. Nesta sexta (03/03), o ex-governador fluminense estará em Porto Velho, onde participará de um almoço com o alto comando do PMDB de Rondônia.no Aquarius Selva Hotel
■ No encontro com o governador Germano Rigoto, do Rio Grande do Sul, Garotinho conseguiu uma vitória importante: os dois anunciaram que o PMDB terá candidato próprio e não será vice de ninguém. Resta saber se Renan Calheiros e José Sarney & Cia. vão entregar os pontos antes do dia “D” (dezenove). Foi uma decisão de bom senso, pois as eleições de outubro são gerais, para renovação total da Câmara Federal, das assembléias legislativas e governos estaduais. Sem candidato à Presidência, não há como fazer uma grande bancada federal, nem conquistas os governos estaduais.
■ O PT do RJ, por exemplo, cujo candidato oficial ao governo do Estado deverá ser Vladimir Palmeira, dividirá o palanque de Lula com o senador Marcelo Crivella, sobrinho do Bispo Macedo. Com isso, o partido irá mais uma vez para o “sacrifício” para atender à vontade de Lula. E vai repetir o mesmo desastre que foi a candidatura de Benedita da Silva, há oito anos, quando ela foi obrigada por José Dirceu a ser vice de Garotinho e, há quatro anos, obrigada a assumir o Governo de um Estado falido, sem poder dizer, na campanha de 2002, que fora o responsável pela falência. Saiu do Palácio Guanabara sem pagar o 13º dos servidores.
■ Agora, até a Igreja, berço do PT, condena a política econômica de Lula & Palocci, e o assistencialismo do Governo Federal, que distribui Bolsas Famílias para famílias de políticos e empresários, enquanto milhões passam fome. Ao invés de ensinar a pescar, como recomenda a CNBB, Lula & Cia. preferem distribuir peixe de graça. O problema é que não há peixe para tanta gente, nem dinheiro para gastar com essas “bobagens”, pois os Bancos têm prioridade na cabeça dos nossos governantes.
■ A nota distribuída em Brasília, nesta quarta-feira, durante o lançamento da Campanha da Fraternidade, que este ano lembra os 25 milhões de deficientes físicos, ficou sem resposta do Planalto. Não dá mais para Lula esconder que o PT, em 2002, não tinha planos de governo; apenas plano para conquistar o Poder. Tal e qual George W. Bush em relação ao Iraque: primeiro tomamos o Poder: depois, vamos pensar melhor no que fazer com ele.

Um comentário:

Eugenio Sciammarella Jr disse...

DIA DA MULHER

Eu sei dos problemas enfrentados por quem quer servir a comunidade.
Agradeço pelo carinho e para começar em anexo estou enviando uma notícia tirado do JB, sobre a Baixada Fluminense.
Outro fato importante, já em Caxias, será a abertura da Exposição de Ladies, da Associação dos Artístas Plásticos de D. de Caxias, evento que será comemorativo ao Dia da Mulher, e acontecerá no dia 7 de março, no Instituto Histórico da Câmara Municipal, e se puder estarei por lá, pois sou um dos sócios fundadores do Instituto

Um abraço, do também velho amigo,
Eugênio.