sexta-feira, janeiro 06, 2006

A NOVA CASSAÇÃO DE OSMUNDO

► Líder estudantil nos anos 50, membro ativo do Partido Comunista Brasileiro e líder operário na FNM nos anos 60, ele foi demitido da empresa em 64, teve os direitos políticos cassados pela Ditadura e foi exilado na extinta União Soviética, onde estudou Direito. Com a anistia, ele voltou ao Brasil e à luta política. Em 1992, ele teve participação ativa na eleição do prefeito Hydekel Freitas, sendo nomeado Procurador Geral do Município, onde realizou um excelente trabalho na defesa dos interesses do Município e no assessoramento do Prefeito nas questões legais. Com essa invejável e inatacável folha de serviços prestados ao Município e ao País, teve seu nome indicado para uma das ruas de Xerém, onde sempre viveu sua família. Era uma justa homenagem a um homem de palavra, de princípios e, acima de tudo, com um profundo sentimento de ética em seu comportamento político, profissional e familiar. Vítima de câncer, ele lutou até onde foi possível contra a doença, que acabou por levá-lo à morte. Cassado em 64 e anistiado em 85, Osmundo Bezerra acaba de ser cassado pela segunda vez, com a retirada do seu nome do logradouro onde morava. Não se discute os méritos de quem foi homenageado em seu lugar, mas não se pode aceitar, passivamente, que um cidadão seja desrespeitado depois de morto. Já é tempo de se por um fim ao macabro desfile de Projetos de Lei mudando a denominação de logradouros públicos apenas para satisfazer aos caprichos de eventuais detentores do Poder. Principalmente quando se tem tantas ruas "Projetadas A", "B", "C", "1", "2", "3" à espera de batismo!

2 comentários:

Pastor Feijolli disse...

LAMENTÁVEL
E bastante triste,um episodio como este. No proprio local perto da
Policlinica onde estão trocando o nome da Rua, existeM umas seis ruas projetadas como voce se referiu.
Por que não utilizar as mesmas para futuras homenagens?

Alberto Marques disse...

INDESCULPÁVEL

A indignidade praticada contra o velho companheiro de lutas Osmaundo Bezerra é apenas mais uma contra a memória de Duque de Caxias. O mesmo fato já ocorrera antes, com o vereador Thomé Siqueira Barreto, cujo nome foi dado à Rua Piraí, no Gramacho, bairro que ele muito bem representou na Câmara Municipal, chegnado ao ponto de merecer o seu nome para batizar o Instituto Histórico. Sem mais nem menoss, a mesma Câmra, que antes era ocuapda por Thomé Barreto, mandou retornar o antigo nome daquela artéria, cujo patronímico nada tem a ver com o bairro ou a nossa cidade.
Outro fato constrangedor foi contra o sanitarista Belisário Pena, assessor de Oswaldo Cruz na campanha contra a Malária. Embora fosse um cientista muito ocupado, lutando em diversas frentes, ele sempre arranjava um tempo para visitar os alunos da Escola Regional de Meriti, onde ministrava para os pais os cuidades com a higiene como forma de evitar a maioria das doenças. A Rua onde funciona o velho 'Mate com Angue" hoje tem o nome do deputado Romeiro Jr., um médido e lider político da cidade, que doara os terresno para a construção da escola. A rua próxima tem o nome de 25 de Agosto, sem qualquer justificativa. Ali caberia, perfeitamente, a restauração da homenagem que a cidade deve a Belisário Pena. Cabe ao prefeito Washintton Reis, antigo morador de Xerém e que conhecia muito bem o Dr. Osmando Bezerra, restaurar o nome do velho companheiro e, por tabela, a homenagem devida a Belisário Pena. Não será nenhum favor, mas um ato de Justiça!