segunda-feira, julho 17, 2006

BAIXADA URGENTE - DENÚNCIA

LULA PROMETE TRÊS
MINISTÉRIOS AO PSB


Para garantir o apoio do PSB, Lula prometeu entregar três ministérios no segundo mandato, e não dois como até agora¸, no segundo mandato. Segundo garante o deputado Alexandre Cardoso, além de Ciências e Tecnologia (que financia e administra o milionário programa de inclusão digital) e da Integração Social (que deverá executar o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco, algo em torno de R$ 100 bilhões), Lula prometeu entregar, de porteira fechada, também o Ministério das Cidades, responsável pelos programas sociais do Governo Federal, inclusive o Bolsa Família, que hoje atende a 11 milhões de famílias. Secretário de Recursos Hídricos do Governo Garotinho, que controlava e dirigia o Programa de Despoluição da Baia de Guanabara e a Cedae, Alexandre Cardoso garante que o Ministério das Cidades já tem dono: ele mesmo. Pelo jeito, Lula assimilou os princípios “filosóficos” de Paulo Maluf, segundo os quais vergonhoso em política é perder a disputa. Nessa linha de comportamento aético, Lula entregou os Correios e o Ministério da Saúde ao PMDB, cujas figuras de destaques na atualidade são Orestes Quércia, Newton Cardoso, Renan Calheiros, Jáder Barbalho e José Sarney. É também nesta linha pragmática de atuação que Lula promete subir no palanque do senador Marcelo Crivella, do PRB, entregando à própria sorte a candidatura do PT no Rio de Janeiro, de Vladimir Palmeira, da mesma forma que liquidou em Minas Gerais com a candidatura do deputado de Nilmário Miranda, do PT, para favorecer Aécio Neves do PSDB, que sabotou à exaustão a candidatura de José Serra e, agora, anda fazendo corpo mole na campanha de Alckmin nas Alterosas. Sem falar na rasteira em Itamar Franco, cuja candidatura a Presidente foi inflada pela turma do Planalto com a única finalidade de enfraquecer Garotinho.


► Na nova pesquisa de intenções de voto para governador no Rio de Janeiro realizada pelo Vox Populi, o senador Sérgio Cabral, do PMDB e apoiado pelo casal Garotinho, continua liderando. Na pesquisa estimulada, onde o entrevistador exibe a cartela com os nomes de todos os candidatos, Sergio Cabral obteve 38%, seguindo-se o também senador Marcelo Crivella, do PRB, bispo da Igreja Universal e que tem o apoio de Lula, com 20%, Denise Frossard, do PPS e apoiada por César Maia e o PFL, com 13%, Eduardo Paes, do PSDB, com 4%, Vladimir Palmeira, do PT (sem o apoio do Planalto), com 3%, Carlos Lupi, do PDT, e Milton Temer, do PSOL, ambos com 1% das intenções de votos, enquanto brancos e nulos ficavam com 12% e os que não sabem ou não responderam alcançaram 9% Foram entrevistados 1.323 eleitores em 38 municípios, incluindo a capital, Baixada e interior, sendo que a margem de erro considerada foi de 3,1 %, para mais ou para menos. A pesquisa registrada no TRE/RJ. Para o senado, Jandira Feghali já se distanciou do deputado Francisco Dornelles, do PP, associado a Sérgio Cabral e ao casal Garotinho. Veja a íntegra da pesquisa, registrada no TSE, clicando no link http://www.voxpopuli.com.br/eleicao2006nac.html
► A Secretaria de Cultura de Duque de Caxias perdeu a batalha para transformar a antiga fábrica de tecidos, no Corte Oito, num Centro Cultural, como o prefeito Washington Reis chegou a anunciar. A Igreja Universal foi mais eficiente e abocanhou aquele valioso terreno da Av. Presidente Kennedy, em frente ao Cemitério de Nossa Senhora de Belém.
► A demolição da antiga fábrica começou em “ritmo de Brasília”, mas sem a colocação de placas indicativas dos proprietários da área e dos responsáveis pela demolição, como determinam o Código de Obras do município e as normas do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura. Além disso, nos fundos do terreno há uma plantação de eucaliptos, feita pela antiga direção da fábrica para a contenção de um extenso barranco, bem ao lado dos quatro reservatórios da CEDAE, que armazenam mais de 10 milhões de litros de água.
► O veículo oficial de placa KMP-0194, da Secretaria de Habitação de Duque de Caxias, vai buscar e levar, diariamente, em Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro, uma assessora do Bispo Paulo Rodrigues, substituto do ex-deputado Eraldo Macedo no comando daquela Secretaria. O novo titular, pelo seu jeito autoritário, ganhou o codinome de “Barão de Araruna”, personagem da novela “Sinhá Moça” que gosta de açoitar os escravos até a morte. Para uma completa caracterização, só falta o chicote.
► Enquanto isso, o ex-secretário Eraldo Macedo continua internado, em coma, no CTI de um hospital da Zona Sul do Rio de Janeiro e não sabe, por razões óbvias, que foi demitido pelo prefeito Washington Reis. Ele está em coma desde outubro e, mesmo assim, foi demitido para dar lugar a um outro bispo da Igreja Universal, que apoiou o prefeito nas eleições de 2004.
► A interdição de um trecho da Av. Plínio Casado e o regime de mão dupla na Presidente Kennedy estão produzindo engarrafamentos diários no centro de Duque de Caxias, inclusive nas Avenidas Presidente Vargas e Brigadeiro Lima e Silva, do outro lado da estação. Tudo por causa da lentidão nas obras de construção de uma discutível e dispensável passagem sob as linhas da extinta Leopoldina. Embora o Governo do Estado e a Prefeitura afirmem, na propaganda, que as obras são financiadas (R$ 64 milhões) pelo Banco Mundial, as empreiteiras garantem que só receberam R$ 1,5 milhão.
► Já começaram as manifestações e passeatas contra a construção do novo hospital de Duque de Caxias, no bairro da Chacrinha, ao lado da Rodovia Washington Luiz. O terreno, situado no manguezal do entorno da Baia de Guanabara, é uma área de proteção ambiental permanente, não podendo ser objeto de ocupação, nem pelo centro de treinamentos do Vasco da Gama, como era o objeto da cessão há mais de 20 anos, muito menos um hospital, com todos os problemas de maio ambiente que uma instituição como esta provoca.
► Desde o último dia 8, o Vasco da Gama é um simples invasor da área de 485 mil metros quadrados pertencentes ao Patrimônio da União, doado de forma irregular pelo Presidente Ernesto Geisel, conforme lapidar decisão do Tribunal de Contas da União. Se prosseguir com as obras, o prefeito Washington Reis corre o risco de ser processado por improbidade administrativa, pois está gastando dinheiro do município numa área que não lhe pertence legalmente.
► O vereador Chiquinho Grandão continua internado, em estado grave, no CTI de um hospital particular do Grande Rio. Em conseqüência do tiro que recebeu no abdome, os médicos tiveram que retirar o pâncreas. Esse foi o quarto político de Duque de Caxias vítima de pistoleiros desde a posse de Washington Reis, em janeiro de 2005..
► O primeiro a morrer foi o vereador Beto Amigo, no início de janeiro do ano passado, menos de 48 horas após assumir a vaga de um colega que fora chamado para integrar o secretariado do prefeito. Em maio último, o vereador Tião do Táxi foi atacado a tiros na porta do centro social que construía no Parque Beira Mar, sua base eleitoral, vindo a morrer 30 dias depois no CTI do Hospital de Saracuruna. Logo depois, foi a vez do suplente e ex-vereador Sérgio Cid escapar, milagrosamente, de uma tentativa de seqüestro quando passava por um viaduto da Rodovia Washington de Luis, no acesso ao bairro de Jardim Gramacho. A quarta vítima, o vereador Chiquinho Grandão também foi alvejado a tiros na porta do centro social que mantém no Parque Fluminense, na divisa entre Duque de Caxias e Belford Roxo.
► O aniversário da deputada estadual Andréia Zito (PSDB) reuniu, segundo sua assessoria, cerca de mil pessoas numa grande festa quinta-feira (12/07), no centro social por ela mantido no bairro Doutor Laureano, em Duque de Caxias. A festa acabou transformada no primeiro ato público da campanha do ex-prefeito Zito a deputado estadual. O encontro contou com a presença do deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (PSDB), candidato ao Senado. Ele prometeu feztra
trabalhar pela volta de Zito à Prefeitura em 2008.
► O ex-prefeito retribuiu as palavras do deputado dizendo que “ele vai ganhar (a vaga de senador) e nos ajudar a voltar à prefeitura de Caxias. O gabinete dele em Brasília estará sempre aberto e certamente se transformará,
junto com a Andréia (candidata a deputada federal), uma base na luta
pelo desenvolvimento da nossa cidade – garantiu Zito

2 comentários:

Anônimo disse...

Photo from my Best weekend in this year ! ! ! ( phentermine )
Look it here :

I and my Girl or My friends girl

Anônimo disse...

Como vai, caro Senhor Alberto Marques?
Eu represento um grupo de aprovados no último concurso para área de saúde e escrevo-lhe por reconhecer como muito séria a sua cruzada em denunciar os problemas da sua amada Caxias. Peço divulgação para a nossa história que é a seguinte.
Em outubro do ano passado, a Prefeitura Municipal de Duque de Caxias, abriu concurso visando o preenchimento de 1783 vagas para área de saúde. Como não poderia deixar de ser, milhares de candidatos se inscreveram. O resultado final saiu no dia 15 de fevereiro e deste então começou o calvário daqueles que tiveram como único pecado conseguir ser aprovados nas provas. Desde o primeiro momento, tudo tem sido muito difícil na secretaria municipal de saúde. Até mesmo o reconhecimento da homologação do concurso nos foi dificultada como se não fosse uma obrigação da secretaria informar os aprovados sobre o andamento do processo seletivo. Sempre que tentamos conseguir uma mísera informação, somos tratados com desconsideração. Nunca nos foi mencionado um cronograma de convocações. Nunca fomos recebidos pelos gerentes da secretaria. Quando telefonamos, apenas um lacônico e quase sádico “sem previsão” fornecido com muita indiferença pelos servidores da prefeitura. Absolutamente lamentável, Sr Alberto.
Neste mês de agosto, o Concurso faz seis meses, exatamente a metade do tempo previsto para sua duração. Soubemos pela imprensa que até o momento somente foram convocados apenas 246 aprovados (o site da prefeitura somente informou 241) e teoricamente a PMDC tem até o dia 15 de fevereiro para convocar o restante dos aprovados. Mas custa-nos a crer que isso acontecerá. O prefeito atual, caso não seja re-eleito, tem apenas mais quatro meses e meio de mandato e é pouco provável que faça o restante das 1537 convocações até lá. Tememos, sim, caro senhor Alberto, ter caído no velho conto concurso caça-níqueis no qual o gestor embolsa o dinheiro das inscrições sem chamar todos os aprovados. Mas nem tudo são notícias ruins. A recentemente jurisprudência no Superior Tribunal Federal, garantindo ao aprovado no concurso público o direito à nomeação, disciplinou a irresponsabilidade da administração pública neste ponto. Essa etapa já foi ultrapassada. Se não for agora, será depois mediante ação judicial. Mas mesmo que tomemos posse, nada disso apagará o desrespeito a que temos sido submetidos.
Parece-nos ser impensável que a secretaria municipal de saúde tenha estipulado um número de vagas no edital do concurso sem haver a correspondente demanda de sua rede ou a devida capacidade orçamentária. A falta de planejamento seria absurda, escandalosa, com indícios até de desonestidade. Sendo assim, diante de tantas inaugurações recentes de Unidades de Saúde divulgadas no site da prefeitura, como não ocorre sequer uma mísera convocação de profissionais do banco de concursados? Pode a inauguração de um grande hospital para 300 leitos prescindir de servidores de saúde? Quem está trabalhando nestas novas unidades inauguradas? Tudo isso é estranho, Sr Alberto. Muito estranho.
Eu represento um grupo que, por tudo o que foi exposto, pretende se manifestar de modo PACÍFICO, ORDEIRO E DEMOCRÁTICO durante os atos de campanha do atual prefeito. Nada contra ninguém. Apenas queremos a divulgação do que consideramos um desrespeito. Enfatizamos de antemão que somos absolutamente apolíticos. Não nos interessa quem foi, quem é ou quem será o prefeito do Município de Duque de Caxias. Nosso partido é a saúde pública. Não queremos servir a nenhum político de ocasião e sim à população da cidade. Até por que trata-se de um direito que conquistamos.
Muito obrigado
José Carlos