terça-feira, maio 02, 2006

BAIXADA URGENTE

PROFESSORES DECIDEM GREVE EM CAXIAS
► O magistério de Duque de Caxias decide em assembléia nesta quarta-feira (03/05) se fará, ou não, greve geral para reivindicar um reajuste de 25% nos vencimentos. A exemplo do Estado, o salário base do Ensino Fundamental gira em torno dos R$ 600, acrescido de abono que o SEPE luta, desde 1998, para incorporar ao salário da categoria de forma a que o piso seja de R$ 1.750. A data base, 1º de Maio, pela primeira vez no Município passou em branco, pois o prefeito Washington Reis alega que não tem recursos para reajustar os vencimentos do funcionalismo, muito embora administre a segunda cidade em arrecadação do Estado, só perdendo para a Capital,. Na quinta-feira, a categoria decretou o Estado de Greve na assembléia realizada no Clube dos Quinhentos, mesmo local da reunião de hoje, que terá início às 08:00 horas. A direção do SEPE promete deixar sem aulas cerca de 100 mil alunos da rede municipal, enquanto o Governo pretende usar contra a categoria a mesma arma utilizada, durante 8 anos, pelo Governo Zito: a demissão dos professores contratados para dupla regência. A dupla regência é um sistema equivalente ao GLP do Governo do Estado, pelo qual os professores concursados têm direito a uma segunda jornada, por contrato provisório, que pode ser rompido pelo Governo se lhe for conveniente. A ex-Secretária de Educação do Município, Roberta Barreto, que hoje incentiva a greve através de um programa de rádio, sempre usou a dupla regência e os cargos de direção das unidades para dividir o movimento e frustrar todas as tentativas do SEPE de promover greve no Município, no que era ajudada pela direção do PT, de grande influência na direção do Sindicato e tinha quadros na administração municipal, encarregados de esvaziar o movimento.

► Aliás, no ranking da ONU sobre Educação, o Brasil conseguiu um grande feito. É o 126º (e último) colocado em índice elevado de reprovação no Ensino Fundamental, atrás, entre outros, do pobre Haiti. Em matéria de (falta de) Educação, o Brasil de Lula é um verdadeiro campeão, imbatível e insuperável.
► Nesta quarta-feira (03/05) termina o prazo para alistamento e pedido de transferência de título de quem pretende votar em outubro. Como sempre, as filas nas portas dos Cartórios cada dia ficam maiores, pois o brasileiro adora deixar tudo para a última hora.
► Um vereador caxiense, conhecido nos corredores da Câmara pelo apelido de “Seu Creison”, foi à tribuna fazer um balanço de sua atuação, afirmando que conseguira concretizar em sua base eleitoral um mini-hospital, contando com “Fisoterapeuta”, “Norologista”, “Crínico” e “Geriátrico”. Se o fato é verdadeiro, o pessoal à disposição do mini-hospital está fazendo falta nos Postos de Saúde da Prefeitura e nos Hospitais Duque e de Saracuruna, pois são servidores públicos cedidos pelo Governo e remunerados com os impostos pagos pela população, que não tem atendimento médico, nem hospitais funcionando de forma efetiva.
► Garotinho aproveitou o “imbróglio” em torno do financiamento de sua campanha para fazer um rigoroso regime, apelidado de “greve de fome”. Além de perder peso, ele aproveita para continuar na mídia.
► Depois de ser flagrado em ligações perigosas com os fiscais do “propinoduto”, comandados por Rodrigo Silveira, Secretário-Adjunto de Administração Tributária, com Waldomiro Diniz, que comandava a Loterj, além de receber doações de empresa pertencente a um cidadão que está numa penitenciária no Rio, condenado por assalto a mão armada, o ex-governador fluminense andou pegando carona num avião Cessna Citation III, prefixo PT-LVE, pertencente ao marginal conhecido como “Comendador”, preso em Mato Grosso e acusado de chefiar o crime organizado e o jogo-do-bicho naquele Estado. O avião havia sido apreendido pela Polícia Federal, mas a Justiça mandou devolve-lo.
► Convidado a participar do primeiro “Chá Literário” promovido pela Escola Estadual Vinícius de Moraes, na Vila Operária, uma das primeiras favelas de Duque de Caxias e, hoje, um populoso bairro operário, o poeta e artista plástico Pedro Marsílio saiu encantado do encontro. Principalmente por observar nos professores um interesse muito grande em aprender coisas novas. Mais dos que os alunos, os professores queriam saber como é feita a chamada Literatura de Cordel e fatos da História do Município.
► Outra constatação feita pelo filho do grande Barboza Leite é a falta de material sobre a História da Baixada nas escolas da região. Os professores deitam cátedra sobre a II Guerra Mundial, as atrocidades das tropas bonapartistas na campanha contra a Rússia, mas não sabem que Tiradentes freqüentava as igrejas do Pilar e de Xerém, nem que Da. Domitila de Castro, amante oficial de D. Pedro I, morava em um palacete, construído pelo monarca na aprazível vizinhança do rio Sarapuí, onde hoje existe a Vila S. José. Aliás, foi Tenório Cavalcante quem comandou a destruição do que restava do antigo palacete da Marquesa de Santos, freqüentado pela Corte no I Império..
► A lista de livros distribuídos pelo MEC, feita em Brasília por um pequeno grupo de sábios, tem como base um parâmetro nacional e a produção de livros didáticos pelas grandes editoras. Assim, nenhum autor tem interesse em pesquisar e produzir livros retratando a real importância da Baixada Fluminense, que vai muito além de fornecer mão-de-obra barata para os endinheirados moradores da Barra da Tijuca, como babás, cozinheiras, faxineiras, porteiros e motoristas.
► Pouca gente sabe, por exemplo, que um morador do Parque Lafaiete, bairro dominado por chácaras e onde morava a dupla Jararaca e Ratinho, ganhou em 1913 Medalha de Ouro numa exposição agrícola em Paris pela qualidade da laranja por ele exportada, colhida numa chácara ao lado da tricentenária Igreja de Santa Terezinha. Um distraído professor de História teve a coragem de afirmar, em recente defesa de tese de Mestrado, que Duque de Caxias nunca produziu laranja.
► Tudo isso acontece porque nossos governantes vivem de costas para a Cultura. Aliás, um ex-Secretário de Cultura de São João de Meriti produziu a seguinte “jóia”: Cultura não dá voto!
► A pergunta que não quer calar: quando a prefeitura vai retomar as obras do Centro Cultural Oscar Niemeyer, que já consumiu mais de R$ 14 milhões da Petrobras e está paralisada desde 2004? Enquanto vice-líder do PSDB no Governo FHC, o deputado Doutor Heleno, hoje no PSC do bloco de Garotinho, garantia que a obra iria custar algo em torno de R$ 5,5 milhões.

Um comentário:

Anônimo disse...

I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»